Please select a page template in page properties.

Weishaupt, uma história de sucesso desde 1932.

Início de 1800

No começo do século 19, Joseph Anton Weishaupt inicia a fabricação de foles em Schwendi. Consta no jornal "Intelligenz-Blatt" do Distrito de Biberach no ano de 1842, que ele fabricava "[...] todos os tipos de foles para forjador, ferreiro e armeiro, enfim para qualquer operário que trabalhe com fogo, sendo muito úteis e bem feitos […] Sempre reconhecidos pela boa qualidade e utilidade. A propósito, recomendamos foles Weishaupt.“ E eles também serão bem vendidos nas próximas décadas.

1900

Por volta de 1900, a "Fábrica de Ventiladores Schwendi" pertence a Franz Weishaupt Sênior, pai de Max Weishaupt, e de seu irmão mais novo, Franz. A linha inclui instalações de ventiladores – também foles para órgãos de igrejas – assim como forjas de campo e fogões de forja para serralheiros, ferreiros, fábricas de máquinas e oficinas de reparação.

1932

No ano de 1932, em meio à crise econômica mundial, Max Weishaupt, nascido em 31 de outubro de 1908, institui sua empresa em Schwendi. O nome: "Max Weishaupt, Fábrica de Máquinas, Schwendi“. "Quanto mais difíceis os tempos, mais esforço é necessário“. Sob esse lema, o fundador da empresa volta a fabricar ventiladores e forjas de campo.

De 1936 em diante os pedidos aumentam significativamente. A oficina é ampliada com a construção de um escritório, criando assim mais espaço para a produção.

1938

Em 1938 Max Weishaupt casa-se com Sofie Kiesle, filha de um mestre cabeleireiro. No ano seguinte nasce o filho mais velho, Siegfried, em 1941 Herbert e em 1949 Maximilian. A foto ao lado é de 1953.

A oficina passa pela segunda guerra mundial sem sofrer danos. No entanto, nos anos seguintes, o governo militar francês ordena que milhares de máquinas sejam desmontadas na área de Württemberg e Hohenzollern, para reparações. Na Max Weishaupt é confiscado um grande torno. Após a reforma monetária em 20 de julho de 1948, a situação começa a melhorar lentamente. Graças à força da nova moeda, o marco alemão, novas matérias-primas podem ser adquiridas para a produção. Agora, a Weishaupt também produz motores elétricos. Os trabalhos começaram com a reparação de motores elétricos no período pós-guerra.

1950

A partir de 1950 a Weishaupt começa a fornecer ventiladores de resfriamento para as lambretas "Maico Mobil“, com excelentes vendas. Em 1955 termina a parceria. A Weishaupt se concentra totalmente na tecnologia de combustão.

Em 1951 um encontro decisivo: em julho Max Weishaupt se encontra pela primeira vez com o suíço Jakob Meier. Motivo do contato, na verdade, Max Weishaupt pretende vender motores elétricos. Outra coisa acaba acontecendo: a República Federativa da Alemanha havia concedido a Jakob Meier, sob o número 920976, a patente para concepção de um queimador a óleo. Com a licença, Meier procura por uma empresa alemã, que produza esse queimador sob o nome "Monarch“.

1952

O contrato para produção do queimador a óleo "Monarch“ é assinado por Max Weishaupt e Jakob Meier em 6 de junho – "após longas, difíceis tratativas e correspondências", como é descrito por Weishaupt. A partir de agora a empresa pode vender o queimador em todo o mundo, com exceção da Suíça. O primeiro queimador é montado sob a direção de Raymond Bärtschi, um suíço especialista em tecnologia de queimadores. Ele dá assessoria à empresa em questões técnicas.

Os prédios da empresa são considerados muito pequenos. Graças a um subsídio do governo no valor de 40.000 marcos, Max Weishaupt consegue expandir o negócio. Por 5.000 marcos ele compra uma área atrás do restaurante "Zum Hirschen“, onde hoje se encontra a prefeitura, e constrói na rua "Gutenzellerstraße 2" uma nova oficina. Mas assim que os novos prédios ficam prontos, não são mais suficientes para o rápido aumento da produção. Um folheto publicitário dá uma ideia do trabalho na oficina.

1953

Alois Steimer assume a primeira representação da empresa em Augsburg. Em 1954 Hans Niclas em Wissen an der Sieg e em 1956 Hans Bongartz em Lübbecke. Ele rapidamente transformou sua empresa em um dos maiores escritórios de representação.

1954

O idealizador do queimador Monarch, Jakob Meier, morre inesperadamente em 28 de janeiro. Faz-se necessário um novo acordo para Monarch com a viúva do fabricante. Ela assina o contrato em 1 de fevereiro de 1955.


A gama de produtos da empresa é variada: ventiladores elétricos de hélice (a partir de 214 marcos), foles para órgãos (a partir de 175 marcos), motores elétricos (a partir de 113 marcos) e ventiladores de alta pressão (a partir de 305 marcos), bem como uma "instalação de combustão a óleo Monarch, totalmente automática“, oferecida por 2.080 marcos.

1955

A rede de vendas é rapidamente expandida: já um ano após a fundação da primeira representação, outras 14 são abertas.

Também no exterior a empresa já está presente: na Holanda, onde Ton Harmsen estabelece a "Monarch Nederland“ – Harmsen se torna um amigo próximo da família Weishaupt – e em Portugal a representação Rost & Janus da família Burmester.

1956

A expansão para o exterior acontece de forma bem profissional: folhetos em inglês e português apresentam, em língua local, as vantagens dos aquecimentos a óleo Weishaupt e proporcionam aos representantes excelentes ferramentas de vendas.

Raymond Bärtschi inicia a representação dos produtos Weishaupt em Friedrichshafen. Painéis de comando completam agora a combustão a óleo. Eles facilitam a instalação para os engenheiros e a operação do novo aquecimento para os clientes: regulagem de maneira confortável e econômica.

1957

No aniversário de 25 anos, a empresa já é a maior indústria do Vale "Rottal", com 200 colaboradores. Na ocasião da comemoração, é inaugurada também a nova fábrica no terreno de Bruckmähder, com novo galpão e um grande prédio administrativo. Assim, a Weishaupt encontrou sua atual sede. Para manter um bom ambiente de trabalho, Max Weishaupt convida sua equipe para um passeio pela região de Allgäu.

20 representantes e diversos postos de assistência técnica com mais de 100 veículos de serviço garantem a instalação e manutenção dos produtos por toda a Alemanha. A importância que o chefe da empresa dá a esse serviço é expressa através de uma carta confidencial aos clientes. Nessa ele pede, "me informe, se você está satisfeito com o atendimento na sua instalação, realizado por nosso representante responsável. Caso não seja conforme o esperado, peço por favor, que me fale abertamente.“

1958

Queimadores a óleo Weishaupt estão em funcionamento na Corte Imperial de Teheran, nos Ministérios da Aviação e do Trabalho da Inglaterra, em navios russos e em muitos clientes na Alemanha e no exterior. "Queimadores a óleo Monarch conquistam a Europa“, é o slogan do queimador a óleo mais vendido da Alemanha. Dependendo da potência, custam entre 1.621 e 5.859 marcos, incluindo painel de comando.

1959

No início deste ano a empresa não é mais uma sociedade civil, mas uma companhia com responsabilidade limitada, com o novo nome "Max Weishaupt Schwendi GmbH“. O fundador da empresa anuncia sua "fiel companheira de longa data, Sofie Weishaupt, como sócia“, informando seus parceiros de negócios.

Maior conforto, devido à sofisticada tecnologia, é oferecido pela bomba de circulação "Cuenod“, que a Weishaupt começa a fabricar a partir do primeiro semestre de 1959, com licença da empresa suíça "Atelier de Charmilles". Anteriormente, a água aquecida era levada pela força da gravidade até o circuito de aquecimento. Agora, isso é feito de forma confiável pela bomba.

1960

"Um queimador a óleo completo“ com 3.000 litros de óleo Diesel é o primeiro prêmio de um concurso, publicado pela Weishaupt na edição de julho da revista "Das Haus“ – primeira iniciativa de marketing para o cliente final.

O novo cinema "Kleine Bühne“ é a atração de Schwendi. É instalado no lugar de um antigo galpão na "Gutenzellerstraße". Max Weishaupt quer oferecer mais entretenimento a seus funcionários e aos moradores da comunidade. A estreia é no dia 2 de setembro. O filme: “E as florestas cantam para sempre” com Gert Fröbe. 

1961

"Caros gerentes de departamento“, assim começa uma carta de Max Weishaupt à liderança da casa. O motivo: a empresa cresceu tão rapidamente nos últimos anos que uma nova estrutura contábil operacional se tornou necessária. O objetivo é poder produzir rapidamente demonstrativos mensais de resultados.

Apenas três anos após o novo edifício principal ser ocupado, já precisa ser ampliado. A Weishaupt emprega cerca de 400 pessoas; as exigências de vendas, contabilidade e gestão de pessoal só podem ser atendidas com a ajuda de uma força de trabalho em constante crescimento.

1962

Os números por ocasião do aniversário de 30 anos registram um crescimento surpreendente, principalmente após o início da produção de queimadores em 1952. Em apenas sete anos o faturamento aumentou seis vezes, em 1961 é de 30 milhões de marcos. 500 colaboradores trabalham agora na Weishaupt. 25% de todos os queimadores a óleo vendidos na Alemanha provêm de Schwendi. A empresa é representada em 13 países; subiu para 60 o número de filiais, escritórios de representação e postos de assistência técnica. Uma manchete do jornal "Deutsches Volksblatt" por ocasião desse aniversário não poderia ser mais adequada: "De oficina à empresa global".

A Weishaupt, pioneira em tecnologia, aposta prematuramente no processamento de dados. Começou com máquinas mecânicas para processamento de cartões perfurados, marcando o início de uma nova era. 

1963

Despojado, simples e elegante: o início da parceria com a lendária escola de design "Hochschule Ulm für Gestaltung (hfg)" leva ao ingresso da "Bauhaus" no design da empresa. Até hoje, os produtos são desenhados por eles. O novo estande de exposição, projetado por Hans Gugelot e Hans Sukopp do Instituto de Design de Ulm e apresentado pela primeira vez em Frankfurt, bem como o design dos queimadores W1 e WG1, são os primeiros resultados revolucionários dessa cooperação.

Um novo combustível, um novo queimador: com o queimador a gás WG1 a Weishaupt dá início a uma nova época. É o produto de extensas pesquisas e mostra a notável visão de Max Weishaupt: reconheceu a importância do gás natural desde o início e está muito à frente da maioria do ramo. 

1964

A homologação da DVGW (Associação Alemã de Especialistas em Gás e Água) comprova, que os novos queimadores a gás da Weishaupt são tecnicamente perfeitos. Depois do WG1, um queimador atmosférico, o WG2 é o segundo modelo lançado no mercado, um queimador a gás com ventilador. As verificações são realizadas pelo organismo de certificação TÜV da Baviera.

Uma nova geração de queimadores é estabelecida com o queimador a óleo W1 – formal, tecnicamente e em termos de facilidade de manutenção. Uma evolução, que ainda representa um dos pilares da gama de produtos da Weishaupt. Pela primeira vez, um queimador é equipado com um plugue elétrico multipolar, o qual torna a instalação muito mais fácil e, portanto, muito à frente de seu tempo.

1965

A grande procura pelo queimador W1 exige um aumento da área de produção. Uma outra construção de 6.500 m² é erguida. Depois disso, fica disponível uma área de 22.000 m² para produção de queimadores.

Na Feira de Leipzig estão previstas reuniões com executivos de grandes empresas do bloco oriental. O queimador W1 e o painel elétrico WS1 são premiados com medalha de ouro por seu padrão técnico.

1966

Uma outra inovação vem do ateliê Müller-Brockmann: o primeiro prospecto para clientes finais. O folheto "Weishaupt – Calor, Bem-Estar, Economia“ apresenta a gama de produtos e suas diferentes possibilidades de aplicação.

Uma filial do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento é instalada de setembro a dezembro no terreno da oficina de serviços da cidade de Augsburg. Como ainda não há fornecimento de gás em Schwendi, os testes para o desenvolvimento de grandes queimadores a gás e duais precisam ocorrer nesse local provisoriamente.

1967

Os números no aniversário de 35 anos da empresa registram mais um salto significativo da Max Weishaupt GmbH. O faturamento total no ano de aniversário soma 69,4 milhões de marcos, sendo 60% desse valor na Alemanha, 40% vindos do exterior. As receitas totais puderam ser duplicadas dentro de cinco anos. 2.690 colaboradores estão em atividade em toda a Organização Weishaupt, sendo 872 na fábrica e em filiais, 317 em subsidiárias na França e na Bélgica, 1.501 em representações e revendedoras autorizadas pela Alemanha e no exterior. A rede de vendas e serviços compõem 13 escritórios, 20 representantes, 35 revendedores, 133 escritórios distritais e 238 postos de assistência técnica.

O novo queimador a óleo U4 é ideal para usinas de aquecimento e demais grandes instalações geradoras de calor. Como todos os queimadores tipo U, ele é capaz de superar altas contrapressões da câmara de combustão e podem, portanto, ser combinados com todas as caldeiras de alta potência.

1968

Com uma redução de preços de 9,09% em todos os seus produtos, a empresa compensa o novo imposto de circulação de mercadorias de 10%, que entra em vigor em 1º de janeiro. Com isso, os preços brutos ficam praticamente iguais. 

"Gás em alta", essa manchete do jornal "Handelsblatt“ de 25 de outubro menciona a percepção, que a Weishaupt tem no desenvolvimento de seus produtos – em 1962 a empresa já havia lançado no mercado seu primeiro queimador a gás. O respeitado jornal de negócios escreve agora sobre a "Onda do gás natural", e a Weishaupt está bem colocada.

1969

O 500.000º queimador sai da produção, 17 anos após a fabricação do primeiro queimador Monarch. Uma cifra gigantesca – mas não em comparação com a capacidade de produção da década de 60. É de 100.000 queimadores por ano.

Segurança acima de tudo – especialmente em instalações de combustão a gás. Por isso, mesmo que os requisitos assim não exijam, todos os queimadores a gás são equipados com válvulas solenoides do grupo A de qualidade.

1970

Tecnologia excepcional, ótimo design: a receita, que desde o início da parceria com os designers Hans Gugelot (falecido em 1965) e Hans Sukopp, vale para o desenvolvimento de todos os novos produtos, e serve de guia também para o sistema de painel de comando WP. Impressionante pelos componentes testados e comprovados e layout claro e reduzido.

Durante a noite de sábado para domingo, quatro queimadores a gás WG3 foram concluídos na fábrica. A instalação começou na manhã de domingo na cidade de Colônia e o sistema ficou pronto para operar na segunda-feira, às 5 h. Graças à prontidão da equipe de serviços do escritório de Colônia, uma grande empresa, que havia sido abandonada por um fornecedor, consegue converter pontualmente seu sistema de secagem de gás local em gás natural, a tempo para o primeiro turno do início da semana.

1971

O Instituto de Patentes da Alemanha "enobrece“ um desenvolvimento do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento: concede o registro da patente para a "Câmara de mistura  de dois discos“, com a qual os queimadores a gás e duais Weishaupt são equipados há um ano. Ela possibilita uma excelente mistura dos diferentes Combustíveis  gás e óleo com o ar, assim como uma chama estável.

A Paróquia de Schwendi recebe quatro novos sinos, doados pela família de Max Weishaupt e de seus três filhos. Eles tocarão para anunciar o ano de 1972. A generosidade da Weishaupt – a paróquia é um exemplo – é irrestrita e continua até os dias de hoje.

1972

40 anos da Weishaupt! A comemoração não é somente pela data, a empresa evolui de forma brilhante. O faturamento total soma 111,8 milhões de marcos nessa ocasião, 70% na Alemanha e 30% vindos do exterior. Na fábrica em Schwendi estão em atividade 930 colaboradores, nas filiais outros 348 e 290 nas subsidiárias. A participação de mercado dos queimadores Weishaupt na Alemanha é constante em 25%.

Apenas oito anos após seu lançamento no mercado, o 500.000º queimador da série W sai da linha de montagem. "Nenhuma razão para grandes comemorações“, observa modestamente a revista da empresa "Weishaupt Report“. Em Schwendi, acostuma-se à grande escala.

1973

A Weishaupt do Brasil inaugura em setembro novas instalações. Apenas dois anos após fundação da subsidiária, os novos galpões em São Paulo estão prontos. O senador Max Weishaupt preside pessoalmente a cerimônia.

Após um exame detalhado, a DVGW emite para a empresa o "Certificado de empresa de manutenção de acordo com a folha DVGW G 676". Isso dá aos funcionários da Weishaupt permissão para fazer a manutenção dos sistemas fornecidos.

1974

O maior queimador até então sai da linha de montagem: o WK5. Quanto maior a potência do queimador, maiores são os requisitos técnicos. Por esse motivo, a Weishaupt tem uma participação de mercado acima da média com sua excelente reputação na indústria, que se baseia tanto na confiabilidade da tecnologia quanto no atendimento ao cliente. O WK5 é compatível para a operação industrial, com uma capacidade de vazão de óleo de 2.400 quilogramas por hora.

É criada a Fundação Herbert Weishaupt. Com o nome do segundo filho de Max Weishaupt, a fundação com sede em Ulm deve pesquisar o diagnóstico e tratamento do diabetes, doença que tirou a vida de Herbert Weishaupt em 4 de fevereiro de 1973. O capital inicial é de 50.000 marcos.

1975

O total de ativos da Max Weishaupt GmbH ultrapassa pela primeira vez a soma de 100 milhões de marcos.

"Não queime seu dinheiro através da chaminé!“ Com essa mensagem a empresa se dirige diretamente aos clientes finais. Sete dicas simples e eficazes sobre como economizar dinheiro no aquecimento chamam a atenção para o tema central do folheto: investir em um queimador Weishaupt é uma das medidas mais eficazes, tanto para preservação do meio ambiente, como para o próprio bolso. 

1976

Mais uma filial inicia seus trabalhos em Kassel.

Taiwan também pertence, agora, à vasta rede de representantes. Trata-se da empresa Singhotex, com a qual é fechado um contrato. Em Reinach/Suíça é incluída a representação HSB. 

1977

No aniversário de 45 anos da empresa, o faturamento consolidado do Grupo Weishaupt subiu para 177 milhões de marcos. Agora, o exterior tem participação de 36% desse valor. Na fábrica em Schwendi trabalham 925 colaboradores, nas demais filiais 325 e em subsidiárias no exterior 430. A maioria destes na França e no Brasil.

A chama azul é a marca do queimador a óleo "Purflam“. É produzido em uma série piloto de 200 peças. Sua particularidade: óleo e ar se misturam até gaseificação e, como gás, queimam completamente. Por isso a chama azul. O Purflam é resultado de trabalhos de desenvolvimento, que duraram mais de uma década.

1978

Termina o tempo da máquina de escrever: computadores tomam seu lugar e iniciam uma nova era no que diz respeito ao trabalho e à organização dos escritórios.

A nova sede da Weishaupt U.K. em Willenhall, perto de Birmingham, é inaugurada. Aqui os produtos são adaptados às exigências britânicas. O amplo estoque garante imediata entrega aos clientes, também com a ajuda de veículos de serviços perfeitamente equipados.

1979

A preservação do meio ambiente não é o princípio que norteia apenas o desenvolvimento de sistemas de combustão, mas também a execução da produção. Por esse motivo, é criado em Schwendi um moderno sistema de tratamento de águas residuais. Ele limpa tão profundamente a água residual que se acumula, que é possível liberá-la com segurança na rede de esgoto. Antes era preciso o processamento em um ponto de coleta em Munique. 

1980

A "Manager Magazin“, uma das principais revistas de negócios da Alemanha, apresenta Siegfried Weishaupt na capa de sua edição de abril. O tema: "Crise de energia abre mercados atrativos“. As estratégias de empresas de sucesso para lidar com as consequências do choque do petróleo são o tema, e Siegfried Weishaupt é o interlocutor principal. O esforço para a foto da capa é considerável: nas instalações da fábrica, um grande queimador industrial lança sua enorme chama no céu à noite, para dar ao retrato do empresário um fundo dramático e atmosférico.

A mais alta precisão na fabricação sempre foi um princípio básico. Com uma máquina de medição controlada por CNC, que exibe os resultados digitalmente, cada peça pode ser verificada com ainda mais precisão e o resultado da medição registrado de forma totalmente automática. 

1981

O suporte de bicos aquecido é uma das inovações mais importantes do novo queimador de atomização a óleo WL10. Com esse desenvolvimento interno, até mesmo o óleo Diesel leve é pré-aquecido, o que melhora as condições de partida do queimador. Ao mesmo tempo, a tecnologia possibilita um funcionamento livre de falhas em caldeiras de aquecimento com baixa potência, por exemplo em uma casa. Em razão dos excelentes resultados de combustão, o WL10 é premiado no ano seguinte com o selo "Blauer Engel“ ("Anjo Azul"). 

1982

Despedida do Senador Max Weishaupt. Pouco antes de completar seus 74 anos de vida morre, em 18 de agosto, o homem, que em 1932 começou sua carreira profissional em uma pequena oficina e após 50 anos deixa uma empresa de renome internacional. Graças à força econômica de sua empresa, mas também ao seu engajamento pessoal, sua comunidade natal, Schwendi, tornou-se uma cidade próspera. A foto mostra Max Weishaupt com sua esposa Sofie nos jardins de sua moradia. O empresário também era muito ligado à família.

Um dos mais renomados museus tecnológicos do mundo, o "Deutsches Museum" em Munique, escolheu queimadores Weishaupt para equipar uma instalação de demonstração: um queimador a óleo WL2 e um queimador a gás WG1. No departamento de petróleo e gás natural, os visitantes podem ver medições reais de Emissões  e combustão por meio de dispositivos de medição.

1983

O 2.000.000º queimador Weishaupt sai da linha de montagem em abril. É um queimador a gás WG2. É doado ao projeto “Criança com Deficiência” em Wuppertal.

108 jovens, meninos e meninas completam sua formação na Weishaupt: como assistentes administrativos, vendedores, designers industriais, construtores, eletromecânicos, eletrônicos e fabricantes de ferramentas. Com uma cota de 11% dos trabalhadores em Schwendi, a empresa dá uma importante contribuição à formação profissional na região e assume uma posição de destaque em todo o país. Na Alemanha, essa cota é de aproximadamente 5%. 

1984

Uma nova classe de queimadores chega ao mercado: os queimadores grandes dos tamanhos 60 e 70 iniciam a geração de queimadores industriais com excelentes características técnicas no que diz respeito à regulagem e à combustão. A potência dos queimadores a gás, a óleo e duais atinge a faixa de 700 até 11.000 kW.

Mais da metade dos colaboradores trabalham na empresa há mais de dez anos, 20% há mais de 20 anos. Isso reflete as ótimas condições de trabalho, a qualidade dos empregos e o bom clima organizacional.

1985

"Meio ambiente limpo com óleo e gás“ é o tema do simpósio, realizado em 11 de outubro em Schwendi. Um número grande de especialistas discute o trabalho de pesquisa, que a Weishaupt havia publicado sobre esse tema. O documento contesta o “Terceiro Relatório do Governo Federal sobre Proteção de Imissões” de 1984, que mostra indiscriminadamente a poluição do meio ambiente pela queima de óleo e gás por residências e pequenos consumidores. Os especialistas da empresa apresentam as possibilidades técnicas, que já podem ser utilizadas para diminuição da emissão de Poluentes . Um prospecto de 20 páginas com importantes informações e argumentos é impresso com uma tiragem de 100.000 exemplares, sendo recebido com grande atenção.

A empresa Delta Modern Service assume a representação Weishaupt no Egito. O proprietário, Said Owies, recebeu todo o treinamento em Schwendi.

1986

25 anos da Monarch-France: a primeira e maior subsidiária comemora seu aniversário. Primeiramente fundada em Paris, hoje tem sua sede em Colmar, depois de passar pelas cidades de Thionville e Lothringen. Com quase 200 milhões de francos, a Monarch-France é a empresa com o maior faturamento da indústria de queimadores na França. Com 40 filiais e escritórios técnicos, uma boa parte deles já em prédios próprios, atendem, com a ajuda de 300 colaboradores, clientes em toda a França.

A subsidiária italiana se muda para uma nova sede em Saronno.

1987

Pela primeira vez o Grupo atinge a marca de 300 milhões de marcos de faturamento. É uma ótima notícia para o aniversário de 55 anos da empresa. O total de ativos alcança 178 milhões de marcos. 983 colaboradores trabalham em Schwendi, 506 em 20 filiais na Alemanha e 613 em 10 subsidiárias no exterior. 37% do faturamento são gerados no exterior, dos quais dois terços através das subsidiárias.

Blumberg, próximo de Donaueschingen, inaugura mais uma filial.

1988

A região do Bodensee (Lago Constança) é agora atendida pela nova filial de Ravensburg. Anteriormente era de responsabilidade da representação de Raymond Bärtschi, a quem a Weishaupt transmitiu importantes fundamentos da área de tecnologia de queimadores. Bärtschi havia deixado o trabalho por motivos de saúde e faleceu pouco tempo depois.

O cuidado para com os colaboradores é tradição na Weishaupt. Primeiro foi o fundador da empresa, Max Weishaupt, que uma vez construiu apartamentos para funcionários que se mudavam, agora é Siegfried Weishaupt quem institui um plano de pensão para colaboradores com benefícios excepcionais.

1989

Despedida de Sofie Weishaupt. Aos 81 anos, falece a sócia e esposa do fundador da empresa Max Weishaupt, em 16 de fevereiro. Companheira fiel nos anos decisivos da fundação, ela posteriormente marcou o destino da empresa em muitas áreas. Até os últimos dias participou desse desenvolvimento.

1990

Que sucesso! Nem bem chega ao mercado e o Weishaupt Thermo Unit já está repleto de prêmios: no "Industrie-Forum Design Hannover", Siegfried Weishaupt recebe o "Prêmio Especial de Excelente Design" da Ministra das Finanças da Baixa Saxônia, Birgit Breuel. Na Feira de Munique, o "Prêmio Federal de Inovação Extraordinária em Artesanato" é concedido a Weishaupt. Os Centros de Design em Stuttgart e Nordrhein-Westfalen também premiam o Thermo Unit, como também os jurados da Feira de Negócios de Paris "Interclima“. Não somente o elogio pelo novo produto é motivo de alegria, mas também as vendas de 10.000 caldeiras já no primeiro ano de produção.

O 2.000.000º queimador da série W sai da linha de montagem. Um sucesso extraordinário, que, no entanto, é relatado "sem muita surpresa" na revista da empresa "Weishaupt Report".

1991

A 6.480 metros de altura! Nunca uma flâmula Weishaupt havia flutuado, e provavelmente é a primeira flâmula de uma empresa do ramo de aquecimento em um pico de 6.000 metros. Jean Bernhard Gaumin, chefe de um grupo de montanhismo e engenheiro térmico de profissão, mostra-a diante da câmera quando ele e seus oito companheiros escalaram o Ausangate, nos Andes peruanos.

Três milhões de queimadores haviam deixado a fábrica em Schwendi desde 1952 – um novo recorde. O 3.000.000º é um queimador dual do tipo WGL30, doado ao Hospital Regional de Löbau em Sachsen.

1992

O Fórum Weishaupt abre suas portas. Na presença do arquiteto nova-iorquino Richard Meier, realiza-se em maio a festa de inauguração do novo prédio social, de exposições e treinamento, por ele projetado. Após dois anos de construção, a fábrica em Schwendi está de cara nova: um estilo purista, preciso nos mínimos detalhes. Um dos pontos altos da comemoração com centenas de convidados é o concerto com o mais importante compositor contemporâneo Philipp Glass, grande representante da "minimal music“. Ele próprio toca sua obra "Opening".

O gerenciamento de qualidade na Weishaupt é exemplar, corresponde à Norma ISO 9001/EN 29001. Isso é confirmado pela Companhia Alemã para Certificação de Sistemas de Segurança de Qualidade, conhecida como DQS, que confere todos os processos de trabalho, desde a entrada do pedido até o serviço de assistência técnica. Com isso, fica confirmado que o gerenciamento de qualidade da empresa atende às normas internacionais.

1993

O Fórum Weishaupt recebe alta premiação: o "Prêmio Alemão de Arquitetura ’93“. A presidente do Parlamento Rita Süssmuth entrega o prêmio a Siegfried Weishaupt em uma cerimônia do Parlamento em Bonn. O júri está muito satisfeito com o fato de o Fórum concebido por Richard Meier “respeitar um processo de urbanização capaz de reunir um local de produção industrial, um centro de formação e um grande acervo de arte contemporânea em meio rural.”

A 14ª subsidiária é fundada na Suécia. Uma filial em Regensburg, responsável pela região leste do estado da Baviera, completa a rede de vendas e serviços. Três representações são abertas: a empresa Energia em Atenas, a Firma Rajni na Índia e a Firma Termoking na Macedônia.

1994

A nova Caldeira  especial a gás "Weishaupt Thermo Gas“ chega ao mercado. Disponível em sete faixas de potência entre 9 e 34 kW, pode ser ajustada conforme o tamanho e a demanda de calor de casas e pequenos prédios. A Caldeira  é fornecida montada e pré-ajustada. A montagem e instalação é muito fácil para os instaladores. 

Siegfried Weishaupt é escolhido para presidente da Associação Europeia de Queimadores, CEB. Max Weishaupt participou da fundação dessa associação e a dirigiu como presidente fundador.

1995

O novo estande de exposição, montado pela primeira vez na Feira ISH em Frankfurt, foi projetado pelo famoso arquiteto nova-iorquino Richard Meier. A linguagem formal, que já moldou o Fórum Weishaupt, as proporções clássicas e o branco brilhante distinguem claramente o design do estande, de outros convencionais. Ele substitui o estande projetado em 1963 por Hans Sukopp, que há anos se destacava pela qualidade e atemporalidade.

40 anos da Monarch Nederland e aniversário de 70 anos de seu fundador Ton Harmsen: dupla comemoração na Holanda. Ton Harmsen foi um dos primeiros homens, que abriu caminho para a combustão a óleo e posteriormente a gás na Europa. Ele tem relações não somente profissionais com a Weishaupt, mas também de amizade.

1996

Altos investimentos na produção simplificam e automatizam os processos de fabricação. O novo sistema de armazenamento para produtos longos disponibiliza automaticamente material de um dos 180 compartimentos, conforme solicitado pelo computador de gerenciamento de estoque. No novo centro de processamento de chapa metálica, um computador controla todo o processo de trabalho. Graças à tecnologia do laser, praticamente qualquer forma pode ser produzida. Um robô assume o trabalho no novo centro de dobra (foto ao lado): ele alimenta a máquina, retira o tubo dobrado e coloca a peça acabada no respectivo recipiente.

Com o novo equipamento de condensação a gás "Weishaupt Thermo Condens ", a empresa completa sua gama de produtos. Elemento principal é o Trocador de calor , feito de uma liga única de alumínio-silício, especialmente resistente à corrosão. Graças a esse trocador especialmente projetado, o Calor de condensação  (Vapor de água ) pode ser recuperado dos gases de escape. O equipamento não é apenas econômico, mas também ecológico: os Gases de combustão  do Thermo Condens  contêm apenas pequenas quantidades de dióxido de nitrogênio e Monóxido de carbono .

1997

Começa a era do gerenciamento digital. É utilizado pela primeira vez na linha de queimadores W40 (foto ao lado). Peça fundamental é o Gerenciador de combustão , cujo microprocessador comanda e controla todas as funções. Um barramento de dados possibilita conexão a um sistema de gerenciamento de edifícios e, portanto, monitoramento e diagnóstico de forma remota. Mais uma inovação: queimadores a gás e a óleo têm a mesma plataforma técnica, o que facilita montagem, operação, configuração e manutenção, planejamento e fornecimento de peças de reposição. Resultado: vantagem significativa de preço.

Quando a empresa completa 65 anos, o faturamento consolidado do grupo alcança 642 milhões de marcos, com uma participação do exterior de 35%. O total de ativos subiu para 346 milhões de marcos. 2.750 colaboradores trabalham na empresa, sendo 1.083 na fábrica em Schwendi, 725 em filiais na Alemanha, 188 na Neuberger e 754 em subsidiárias no exterior.

1998

multiflam® é a nova tecnologia de queimadores, que reduz significativamente as Emissões  de óxido de nitrogênio em combustão a óleo, um nível que se pensava ser impossível alcançar. Uma emissão abaixo de 120 mg/kWh de NOx  tornou-se realidade – confirmado em um teste de campo na Clínica Münster do Mosteiro Zwiefalten, onde os valores dos dois queimadores Weishaupt ficavam constantemente abaixo de 100 mg/kWh. E esse é o princípio: três ou quatro jatos secundários, ordenados de forma concêntrica com os jatos primários, pulverizam o combustível líquido. A névoa de óleo proveniente dos bicos se mistura com Ar de combustão  e gases da câmara de combustão e evaporam parcialmente. O combustível assim preparado queima produzindo uma chama principal quase azul, comparável à dos queimadores de baixa potência. A tecnologia multiflam garante, assim, a combustão ideal do óleo Diesel EL: formação reduzida de NOx , combustão completa sem fuligem, consumo de combustível com baixo excedente de ar. No ano seguinte, serão fornecidos os primeiros queimadores da série.

1999

Weishaupt e arquitetura, um casamento perfeito, cuja última conquista é a nova sede da filial suíça em Geroldswil/Zurique. Característica particular do edifício projetado pelo prestigioso arquiteto de Zurique Théo Hotz: a proteção solar e acústica que se eleva sobre a rodovia A1. Não apenas a arquitetura é exemplar, mas também a especial tecnologia de construção, que economiza energia e cujos requisitos foram, desde o início, incluídos no planejamento.

Começou uma nova era do processamento de dados: na fábrica em Schwendi a instalação do software de negócios "R 3" da SAP foi concluída com sucesso. Os procedimentos de trabalho são unificados e todas as aplicações econômicas estão vinculadas. A partir de 2000 todas as filiais estão conectadas entre si, a partir de 2001 também as subsidiárias. Objetivo é o processamento otimizado de cada pedido.

2000

"Montagem 2000“ é o nome de um dos maiores projetos de investimento da história da empresa. Para a montagem dos queimadores foi remodelado um galpão existente e construído um novo, altamente moderno, com 2.300 m². Ao final do ano, a instalação entra em funcionamento. O objetivo era tornar os processos de fabricação mais rápidos, mais flexíveis, mais ergonômicos e mais confiáveis. E isso pôde ser alcançado.

O desenvolvimento das novas caldeiras de condensação WTC45 e WTC60 completam a faixa de potência de até 62 kW. Em uma assim nomeada "disposição em cascata", na qual até quatro caldeiras de condensação são conectadas em série, podem ser alcançados picos de potência de até 240 kW.

2001

50 anos em uma empresa – Bruno Rothmaier comemora esse aniversário extraordinário em 1º de outubro. Em 1951, aos 13 anos, ingressou na empresa como aprendiz de máquina e, assim, testemunhou todo o período de construção dos queimadores em Schwendi.

Com uma eficiência padrão de 110%, a nova série "Weishaupt Thermo Condens -A" está na faixa máxima do que é tecnicamente possível. É um desenvolvimento completamente novo do próprio Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da empresa e tem uma estreia mundial: a "tecnologia SCOT", que garante valores ideais de combustão, independente da composição do gás combustível, e ótima combustão de forma contínua ao longo de toda a vida útil do equipamento.

O excelente clima de trabalho, prazer e confiabilidade é a base para a satisfação de nossos clientes em todo o mundo.

Visão de futuro é tradição, em todas as gerações.

Desde a fundação da empresa por Max Weishaupt em 1932, existe apenas uma direção: para frente, graças também à forte tradição familiar. Com os mais altos padrões, amplo know-how e confiabilidade absoluta, Siegfried e Thomas Weishaupt levam hoje a empresa tradicional para o futuro.

Muitos colaboradores, um só DNA: Confiabilidade.

Confiabilidade na Weishaupt não é somente uma promessa. É atitude, de cada pessoa. Colaboradores confiáveis e com muitos anos de casa são fundamentais para o sucesso da companhia. Por isso, alguns colegas já estão na terceira geração ou há mais de 40 anos em nossa empresa. Como empregadores, ficamos particularmente orgulhosos disso.

Arquitetura e arte. Uma linha clara para a Weishaupt.

Coleção

A coleção inclui incunábulos do expressionismo abstrato, incluindo os de Mark Rothko, bem como conjuntos de obras do artista pop americano Warhol e Lichtenstein. Do lado europeu, são exibidos artistas representantes da arte concreta, como Josef Albers ou Max Bill.

Conheça a coleção
Weishaupt Forum
O Fórum Weishaupt

O Fórum Weishaupt, branco como a neve, situado na sede da empresa em Schwendi é um monumento escultural projetado pelo arquiteto americano Richard Meier. O edifício cumpre muitas funções no dia a dia de toda a companhia e expressa toda sua cultura: clareza, valor intrínseco, funcionalidade.

Up